Consideradas como organismos vivos, as empresas nascem, crescem e podem morrer, ou seja, elas, assim como os seres humanos, possuem um ciclo de vida. Para as instituições, o ciclo é fundamental para traçar metas e implantar os meios de alcançá-las.

Caracterizado por fases, cada fase desse processo possui características bem definidas, elaboradas através das consequências e resultados das modificações pelas quais as organizações caminham com o decorrer do tempo.

Continue a leitura e confira os detalhes do ciclo de vida das organizações.

Quais são os estágios do ciclo de vida das organizações?

As empresas passam por diferentes etapas ao longo de suas vidas e o modelo de Ciclo de Vida (CVO) possui aplicação prática ao identificar problemas e prescrever medidas para trazer a organização para a fase Plenitude.

Esses estágios são identificadas ao serem analisadas as capacidades cognitivas dos executivos, a estrutura da organização, bem como o contexto no qual ela está inserida.

De posse dos estágios e de sua sequência, é possível entender em que etapa a empresa se encontra em seu ciclo de vida e com isso saber se este organismo tem problemas normais ou anormais de acordo com cada estágio do CVO.

Objetivos do CVO

A utilização do CVO leva a organização a entender o estágio em que ela se encontra e com isso definir as ações necessárias para solucionar seus problemas, além de:

  • Antecipar obstáculos;
  • Promover o equilíbrio;
  • Controlabilidade;
  • Flexibilidade

O ciclo de vida das organizações: livro

Segundo Ichak Adizes autor do livro, lançado em 1988, “Os ciclos de Vida das Organizações” a chave para administrar bem uma empresa em todas as fases é se concentrar naqueles problemas que são mais pertinentes ao estágio atual da organização no ciclo de vida.

Como funciona o ciclo de vida de um produto?

*Case Apple:  a evolução dos produtos manteve a empresa na liderança

A Apple, que hoje é uma marca mundialmente conhecida e sinônimo de sucesso, já passou por maus momentos no início da década de 90.

Fundada por Steve Jobs em 1976 com o nome de Apple Computer Inc., a Apple foi uma das primeiras empresas do mundo a fabricar e apostar na produção de computadores pessoais.

Devido a energia de seu fundador, as técnicas de administração de empresas avançadas para a época e também a forte inovação tecnológica, rapidamente, a empresa ultrapassou seus principais concorrentes e se tornou uma das grandes fabricantes de pequenos computadores da América, conquistando logo em seguida o mundo.

Em 1984, a antiga Apple lança o seu maior sucesso o computador Machintosh, mas após colher mais de duas décadas de lucros, no início da década de 90 a empresa começou a perder mercado.

A partir desse novo ciclo, ela renovou toda a linha de produtos e investindo em design de qualidade e tecnologia experimental.

Em poucos anos, a Apple voltou a lançar produtos revolucionários até os dias atuais. Se nada fosse feito, com certeza o destino da Apple seria a concordata, mas ela optou por inovar.

Quantas e quais são as fases do ciclo de vida de uma empresa?

Além do processo de planejar, pensar a organização e concentrar esforços na criação da marca e produto, para ser lançada, a empresa precisa seguir algumas etapas.

A seguir, confira o passo a passo:


1) Introdução: organizar as instalações da empresa, contratar e treinar os colaboradores, comprar estoque, fazer planejamento estratégico e divulgar a inauguração.


2) Crescimento: as operações da empresa começam a dar resultado financeiro positivo. Esta fase pode levar de dois a quatro anos. É quando ela está sendo conhecida pelo mercado e os consumidores passam a serem clientes. Não é a líder de mercado e a concorrência é acirrada.


3) Maturidade: a empresa se sustenta sozinha. Já tem uma clientela fiel e detém uma boa fatia do mercado. Quando se compara com a concorrência tem a certeza de que é a líder do mercado e supera a concorrência facilmente. Essa fase pode durar longas décadas.


4) Declínio: em algum momento todas as empresas entram na fase de declínio, pois seus produtos e serviços serão ultrapassados pela concorrência, pois uma inovação será lançada antes da sua, pois uma empresa maior está entrando no mercado, pois faltou capital de giro ou houve uma administração incompetente. Se a empresa não reagir pode morrer, ou seja, falir.

Como visto acima, os ciclos são caracterizados por Introdução, Crescimento, Maturidade e Declínio.

Continue a leitura, pois iremos mostrar com mais detalhes – exemplificando com as fases e acontecimentos da rotina – a definição de cada etapa.

Confira as 10 etapas:

Infância
O dono do negócio é o puxador. É ele quem faz tudo, tem a característica centralizador: a empresa é a sua cara.

Nessa etapa, o negócio ainda não tem processos definidos, a equipe costuma ser amadora. Sem metas e planejamento, todo o time acaba agindo por impulso, os resultados são tensos e apertados. A empresa vive de crise em crise.

É nessa fase que ocorre a primeira e grande leva de mortalidade. Das que sobrevivem, muitas ficam presas na infância anos a fio. As que crescem pulam para a próxima fase.

Toca-toca
Talvez esteja neste ciclo de vida das organizações a maior parte das pequenas empresas. É basicamente a mesma empresa infantil, mas que consegue vender bem e produzir bem. De maneira direita, a empresa “vai tocando” os dias e funcionamento.

Em geral, o mérito está nos donos, empreendedores intuitivos e dedicados, às vezes, uma família – nesse exemplo, pode acontecer uma grande armadilham – a crença de que o negócio só funciona por causa deles. E, ao acreditarem apenas em si e no próprio trabalho, podem desacreditar da etapa de profissionalização. Por conta dessa ideia, elas podem ficar paralisadas nesse estágio, ficando cansadas e morrendo em uma crise mais aguda.

Adolescência
Considerada uma fase difícil e dolorida, nessa parte do ciclo, o processo de delegação ainda é muito recente, podendo acarretar falhas e a sensação de “vai e volta”.

Pode ocorrer inúmeras mudanças e falhas nos processos. Por conta dessa instabilidade, a produtividade pode ser impactada pela quantidade de tempo perdido.
Nessa fase, ocorrem conflitos entre a velha e jovem guarda, entre o fundador e gerentes, entre as metas pessoais e empresariais.

O foco começa a sair do mais para o melhor, mas quando o dono não dá conta de conduzir e passar por essa etapa, as empresas recuam para a fase “toca-toca”.

As que conseguem superar tudo isso, ou seja, construíram equipes e processos eficientes e eficazes, alcança a plenitude. Mas há aquelas que não conseguem ultrapassar as barreiras e acabam morrendo ainda no começo.

Plenitude
Nessa etapa do ciclo tudo funciona bem.
A empresa tem processos, equipe treinada e com autonomia, metas e planejamento, lucro, crescimento, reinvestimentos, criação de novos negócios, dinamismo. É quando a empresa atinge todas as suas metas, ou seja, o sucesso.

Lembrete: com tudo caminhando bem, a atualização deve estar sempre em pauta, afinal, empresas que não se renovam continuamente, podem passar para a próxima fase e começarem o declínio, rápido ou lento.

Estabilidade
É a primeira fase do envelhecimento.
Nessa etapa, a empresa fica presa ao que deu certo no passado, perda de flexibilidade, bem organizada e lucrativa, sensação de segurança, menos expectativas de crescimento, desconfia de mudanças.

Aristocracia
Dinheiro em caixa, investe em alguns luxos, formalidades, conflitos camuflados, poucas mudanças, pouca inovação, muitos controles, perda de flexibilidade, conservadorismo, produtos envelhecidos. É quando ocorrem mais fusões e aquisições. Começam as perdas financeiras.

Burocracia Incipiente
Em função da falta de capacidade de se renovar, começam as perdas: demissão de funcionários na busca de culpados, perda de talentos criativos, perda de dinheiro acelerada, rumo a falência.
Nessa etapa, muitas morrem, em especial as pequenas organizações.

Burocracia
Dissociada da realidade, não gera lucros.
Grandes organizações podem conseguir viver assim, como zumbis, por anos, se detiverem o controle do seu mercado ou se houver interesse do governo e sindicatos. É fase final que leva à:

Morte
Nessa etapa, o ciclo de vida chega ao fim.
A empresa fecha, quase sempre deixando prejuízos.

Gostou desse texto? Continue navegando no nosso blog e veja conteúdos semelhantes. Além disso, se você busca auxílio para ajudar sua empresa a superar um estágio e avançar para a fase seguinte, fale conosco para entender como o ecossistema da Startwp pode ajudá-lo.

Referências:
https://www.rhportal.com.br/
https://www.prolucro.com.br/
https://www.guiadacarreira.com.br/

https://www.rhportal.com.br/
https://www.guiadacarreira.com.br/

https://www.rhportal.com.br/
https://www.guiadacarreira.com.br/