Nubank anuncia na manhã desta sexta-feira, 11, a aquisição da corretora Easynvest. O negócio, fechado na noite de quinta, representa a entrada do maior banco digital do país no aquecido mercado de investimentos já em posição de destaque, uma vez que a “Easy” é a maior corretora digital independente do mercado, com 1,5 milhão de clientes e mais de 20 bilhões de reais sob custódia. Os valores da transação não serão divulgados.

O negócio será realizado por meio de pagamento em dinheiro e, em sua maior parte, trocas de ações. Os acionistas da Easynvest vão receber ações do Nubank, a começar pela Advent, empresa americana de private equity que detém a maior participação da corretora, com 60% do capital. Profissionais de gerência também vão ganhar ações, com o objetivo de alinhar interesses para que a integração seja bem-sucedida e para a operação futura.

“Estamos muito contentes com a aquisição. Estudamos o setor de investimentos com muito cuidado já há algum tempo e entendemos que ele é estratégico por várias razões”, afirmou David Vélez, fundador e CEO do Nubank, à Exame.

“Uma vez que o Nubank comece a oferecer produtos de investimentos para os nossos 30 milhões de clientes, há um potencial enorme para conquistarmos uma posição ainda mais forte nesse mercado”, afirmou o empreendedor colombiano.

Será um salto estratégico para o banco digital fundado em 2013 por Vélez, a brasileira Cristina Junqueira (colunista da Exame) e o americano Edward Wible e que nasceu com um único produto, um cartão de crédito sem anuidade — atualmente utilizado por 15 milhões de pessoas. A conta digital, por sua vez, tem 26 milhões de usuários.

A aquisição da Easynvest vai permitir que o banco possa ampliar as receitas com a oferta de produtos, como fundos de investimento (são cerca de 450), além de aumentar a recorrência de uso dos serviços financeiros. E vai colocá-lo em condições de se beneficiar do forte crescimento do mercado de investimentos no ambiente de juros mais baixos.

Fonte: Exame